Destaque Saúde

Cerca de oito mulheres deram à luz aos seus filhos no dia das mães em Teresina

O Dia das Mães, comemorado neste domingo (12), teve um significado ainda mais especial para oito mulheres que deram à luz aos seus filhos nessa data na Maternidade Dr. Ursulino Veloso, do bairro Buenos Aires, zona Norte de Teresina. Dentre elas, cinco gestantes optaram por partos normais humanizados, com a utilização de técnicas para alívio de dor. O dado consta no Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) do Ministério da Saúde.

Um dos bebês que nasceu ontem (12) foi o Enzo Gabriel, pesando 3,24 quilos e medindo 48,5 cm. “Ele trouxe consigo toda a magia de transformar uma família. Quando nasce um filho, nasce também um pai, uma mãe, tios, avós e irmãos. É um momento importante na vida de todos e as maternidades da Prefeitura de Teresina obedecem às normas do Ministério da Saúde para garantir uma assistência humanizada”, afirma o presidente da FMS, Charles Silveira.

A mãe do Enzo Gabriel, Denyelly Moraes, expressou a sua alegria e contou que o seu primeiro filho, que tem 6 anos de idade, também nasceu na maternidade do Buenos Aires. “Estou muito feliz. No dia das mães, receber como presente um filho que esperei por nove meses”. A avó do Enzo, Claudene Moraes, também disse que a experiência de acompanhar o nascimento do seu neto foi muito marcante.

Segundo a enfermeira obstetra Natasha Gonçalves, esse parto foi sem intercorrências e o bebê nasceu saudável. “A mãe Denyelly era super receptiva, realizou exercícios na bola para alívio da dor até na reta final do trabalho de parto dela. É muito gratificante, enquanto profissional e ser humano, colaborar com as mulheres neste momento singular, considerando-as como protagonistas desta história e proporcionando a alegria de uma mãe, de um pai, de uma família”, afirmou.

A médica neonatologista da maternidade do Buenos Aires, Conceição Carvalho, reforça que é essencial que a gestante faça o pré-natal corretamente para garantir a saúde do binômio mãe- bebê. “Após o nascimento, a chave primordial é o aleitamento materno, que deve acontecer até os seis meses de vida. Além de estar nutrindo o seu filho, a mãe está dando amor. Há comprovação científica de que a amamentação interfere até no grau de inteligência do bebê”, ressaltou.

Segundo a diretora geral da maternidade, Rosélia Sena, quando a gestante chega à maternidade do Buenos Aires, passa pelo acolhimento com classificação de risco para classificar a gestação como de alto risco ou baixo risco. “Se constatado que é de alto risco, ela deve ser direcionada para a maternidade Dona Evangelina Rosa. Se tratar-se de gestação de baixo risco, o médico obstetra a encaminha para o nosso Centro de Parto Normal ou para o Centro Cirúrgico”, explicou.

O local possui 52 leitos, sendo 30 obstétricos, sete de neonatologia, 10 leitos de Unidades de Cuidados Intermediários Neonatais, cinco quartos PPPs (Pré-Parto, Parto e Pós-Parto) que garantem privacidade e conforto às gestantes. Há também centro cirúrgico, sala de aleitamento; testes do pezinho, coraçãozinho, orelhinha; salas de atendimento obstétrico neonatal e de classificação de risco e, ainda, cartório de registro de nascimento e de coleta de leite.

A diretora geral informa ainda que a maternidade do Buenos Aires tem uma estrutura maravilhosa, não perde para nenhuma particular. “Os quartos “PPP” são individualizados e nos alojamentos conjuntos (enfermarias) tem cortinas que garantem privacidade às mães e aos bebês. Os equipamentos são de ponta e a equipe profissional é muito boa, respeita a mulher. É um atendimento diferenciado no momento mais importante da vida da família”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *